ARNALDO POESIA
arnaldopoesia@yahoo.com.br

         Niterói - RJ

O primeiro beijo é o começo daquela vibração mágica
que transporta os amantes do mundo das coisas e dos seres
para o mundo dos sonhos e das revelações

                                                                  ~ Gibran Kahlil Gibran ~

As almas se encontram nos lábios dos enamorados
                                    Percy Bysshe Shelley (1792-1822)

Kiss, beso, kissu, küchen, baiser, tzub, su-ub, pitér, felia, xkyss, potselui, neshiká: beijos em várias línguas.

Poucos prazeres físicos podem ser comparados ao proporcionado por um bom beijo, daqueles demorados, intensos e saborosos, os rápidos e ardentes ou até mesmo o roubado. Um especialista no assunto já catalogou mais de 484 tipos diferentes de beijo...

Segundo os historiadores, antigas civilizações tinham por costume passar alimentos mastigados para os filhos pequenos, boca a boca. E isto poderia ocorrer até mesmo entre adultos. O beijo também pode ter nascido de uma necessidade de povos antigos de fazer o aquecimento das vias orais, durante o inverno, soprando ar quente na boca e nas bochechas do outro. Também cogita-se que o beijo venha do costume de algumas sociedades de "provar" o outro com a língua. E isso pode ter chegado na boca. Independentemente de sua origem, o beijo fez o maior sucesso entre a maioria dos povos. Atualmente, é rara a cultura que não tenha no beijo uma tradição. Nem que este seja um simples esfregar de nariz, como o singelo beijinho de esquimó.

Prometendo a mesma inocência, a moda do selinho já é uma conquista definitiva. A onda, que vem do Rio de Janeiro, é o beijo "selinho" (só o toque dos lábios). Um fato verificado normalmente entre pessoas do meio artístico e que era comum entre universitários em décadas passadas. Agora, começa a ser observado em todos os segmentos da sociedade. Estes podem até chocar os mais conservadores, mas são dados com naturalidade.

Ao contrário do que muita gente pode pensar, trocar um selinho com uma amiga não significa que se está querendo algo mais. Pode até parecer que seja, mas fica muito longe disso. É apenas um modismo (que veio para ficar), uma forma de mostrar afeto entre pessoas íntimas. O beijo é uma demonstração de intimidade socialmente aceita. E o beijo de língua corresponde a um ato sexual leve. Se o beijo "esquenta", o resto então... O beijo tem a ver com conquista, afeto. É por isso que o beijo é praticamente inexistente quando os casais estão em crise, por exemplo.

Há 18 tipos de "selinho". Tem o seco, o molhado, o de canto de boca, com a pontinha da língua etc. Tem mais, muito mais...

A palavra beijo é derivada do latim: "basium" é o beijo mais romântico, apaixonado, na boca; "saevium", o beijo delicado e terno; e "osculum", o que é dado na face. O ato em si é capaz de movimentar 29 músculos, 12 dos lábios e 17 da língua. Durante um beijo, a pulsação cardíaca pode subir para algo em torno de 150 batimentos por minuto. Também ajuda a queimar calorias, de três a 15, num beijo bem intenso.

Beijo divino, suave e gracioso.
Ternura sem igual e sonho interminável.
Imagino a tua boca adorável,
E me inebrio de inesgotável gozo.

O beijo também é fonte inesgotável de inspiração para tantas outras manifestações artísticas e literárias. O beijo não vai perder a magia nunca. Nas novelas e filmes, é comum perceber que uma cena de beijo chama mais atenção do que uma de sexo.

Cientificamente, o beijo apresenta números interessantes. Quando você beija, está trocando, além de carinho, cerca de 250 bactérias na saliva, 9 miligramas de água, 18 substâncias orgânicas, 7 decigramas de albumina (proteína solúvel em água), 711 miligramas de materiais gordurosos e 45 miligramas de sais minerais. Melhor do que isso é saber que um beijo desencadeia a liberação de substâncias neurotransmissoras que provocam sensação de bem-estar e excitação, como a adrenalina, a dopamina e a serotonina.

Há um tipo de beijo, por exemplo, que potencializa o orgasmo. Basta colocar a língua no céu da boca do parceiro no momento da ato sexual.

Para os que não prestam atenção ao sabor do beijo, o beijo sem gosto, é beijo por beijo. Não significa nada. É possível perceber um gosto doce na boca, na hora do beijo, é porque está havendo entrega, interesse. Mas quando o gosto está ácido, é muito melhor... Sinaliza que a coisa perdeu o controle, a adrenalina está disparada e a curtição é total. Mais. A mulher pode até mesmo chegar ao gozo com um beijo. Enquanto estiver rolando o beijo, deve-se massagear as axilas da mulher porque existe um ponto específico ligado diretamente ao clitóris. Mas a mulher tem de estar totalmente envolvida, assim o prazer será absolutamente intenso. E quem quiser percorrer outro caminho do prazer, aí vai: Perto do útero, há o chamado ponto gama (não confundir com o ponto G). Apenas massageando esta zona com o dedo, o homem pode fazer com que a mulher tenha até 12 orgasmos múltiplos. Mas a mulher tem de estar preparada fisicamente.

E entre carícias e beijos,
Que despertam os desejos...
Só queremos amar...

Mas qual é o melhor beijo? O melhor beijo é aquele onde há total entrega. Não há quem não saiba beijar; há, sim, bocas, que não se combinam. E aí não adianta querer ensinar o outro a beijar porque estas bocas, na verdade, nunca se combinarão. E quem beija melhor, o homem ou a mulher? A mulher, claro. Ela se entrega para o beijo, está mais acostumada a ceder. O homem, normalmente, não se liga na entrega. Ele vê mais o beijo como uma atividade que precede o ato sexual.

Povos primitivos acreditavam que o beijo funcionava como um mecanismo que tinha a ver com o encontro de almas, ou melhor, com a incorporação delas no momento em que uma pessoa expelia o ar quente da respiração para a boca do companheiro. Na Antiguidade, o beijo na boca era usado para saudar um amigo, desde que este fosse do mesmo nível social, como era o caso dos persas. Pessoas de classes sociais diferentes beijavam-se no rosto.

Na Grécia, beijo na boca é só entre pessoas da mesma família ou amigos bem próximos. Na Inglaterra, por volta do século 12, o beijo funcionava como uma espécie de pacto entre o vassalo e seu senhor, que por sua vez o protegia. O pacto só era quebrado com a morte de um dos dois. Este costume foi abandonado quando chegou a peste.

Na Escócia antiga, ao declarar os noivos marido e mulher, era o padre quem beijava ambos nos lábios. Era um tipo de benção, e dela, acreditavam, dependia a felicidade do casal. Estranho? Mas não era só isso, para a felicidade do casal ficar ainda mais garantida, a noiva deveria beijar todos os convidados do sexo masculino, na boca, claro. Mas beijo era coisa séria mesmo para os italianos do século 15. Se um homem fosse pego beijando uma mulher em público era obrigado a se casar com a donzela.

~ © Arnaldo Poesia ~

~ Segundo pesquisas, os cinco beijos mais famosos são: ~

  • Selo seco frontal (selinho)
    Tocar com os lábios fechados a boca de outra pessoa. É um beijo de respeito e de carinho para qualquer situação. Serve também para a família e para alguns amigos.
     
  • Beijo em cruz (malho)
    As bocas abertas e encaixadas deixam espaço para as línguas se encontrarem. É o beijo que todo mundo quer dar quando está afim de alguém. É mais romântico. Não é para dar em qualquer um. Através dele dá para descobrir o jeito da pessoa, a experiência que ela tem em beijar e a sua intenção.
     
  • Beijo com mordida de lábio
    Um morde o lábio inferior do outro enquanto tem seu lábio superior mordido também. É um beijo que surge de outros beijos. Mesmo porque a carne da boca é gostosa de morder mesmo. E a dorzinha faz parte do beijo, é gostosa.
     
  • Beijo que marca
    Um selinho dado com força, que pressiona os lábios contra os dentes. Depois de algum tempo de pressão, um dos parceiros passa a língua na gengiva do companheiro. A boca fica meio adormecida e a segunda parte, da língua, alivia o local que ficou meio dolorido. Parece que o beijo fica com um gosto diferente.
     
  • Beijo de língua invertido
    Deitados, um de cabeça para baixo em relação ao outro, os parceiros dão um beijo de língua. É o mais gostoso. As línguas raspam no céu da boca e suas partes de cima ficam em contato uma com a outra. O lábio inferior de um toca o superior do outro e vice-versa. É bem diferente.

    Mas acima de tudo, o beijo, como dizia Gibran Kahlil Gibran, "é a união de duas flores perfumadas; e a mistura de suas fragrâncias, para a criação de uma terceira alma".

    ________
    Le Monde, Paris.

    ~ Beijos para o amor e a saúde ~

    O contato dos lábios não é só uma das formas mais íntimas e prazerosas de manifestar o amor e alimentar a paixão. Beijar também permite descobrir se duas pessoas têm uma boa "química" como casal e ajuda a melhorar a circulação e até a dentição. Poucas pessoas conseguirão a esse agradável remédio natural.

    A doutora Helen Fisher, professora da Universidade de Rutgers de Nova Jersey (EUA), afirma que "um beijo é um mecanismo de avaliação do companheiro", e que, durante o ato de beijar, ocorre uma série de reações químicas e, em alguns casos, um beijo ruim pode ser o "começo do fim" de um novo romance.

    A antropóloga, autora de livros sobre sexualidade, amor e diferenças de gênero no cérebro, disse que beijar representa pouco mais de 90% das atividades sociais dos seres humanos e também é um instinto natural para estimular os mecanismos da reprodução. "Quando beijamos, vemos, cheiramos, sentimos o outro. A saliva do outro contém quantidades de hormônios que são um indicador de sua personalidade. Ao beijar, o cérebro fica ativo. Cinco nervos levam mensagens do que estão sentindo. É realmente uma ferramenta de avaliação muito poderosa", disse Helen Fisher.

    A pesquisadora dirigiu uma série de estudos baseados em imagens do cérebro e afirma que, quando uma pessoa beija outra, tem acesso a três sistemas cerebrais primários utilizados para a união e a reprodução: a conduta sexual, o amor romântico ou apaixonado e, em terceiro lugar, o afeto. Segundo Fisher, o beijo ativa diferentes reações químicas que estimulam os três sistemas. Quando beijamos impulsionados pelo amor romântico, uma parte do cérebro enlouquece e se comporta "como se estivesse sob os efeitos de algum estimulante". "O amor romântico é um impulso poderoso que vem do motor da mente, da área responsável pelas dependências", afirma a antropóloga.

    Por outro lado, "há evidências de que a saliva contém testosterona e que os homens gostam de beijos com mais saliva e com a boca mais aberta, o que me sugere que tentam transferir testosterona para incentivar o apetite sexual nas mulheres", disse a pesquisadora.

    Fisher acredita que "as reações químicas cerebrais causadas pelos beijos estão presentes na 'paquera', mesmo que não sejamos conscientes delas".

    Começo ou fim de romance

    Para mostrar isso, a antropóloga firma que "há pessoas que se desencantaram com o pretendente apenas três minutos após tê-lo beijado", e sustenta que há diferentes estilos de atrações amorosas que dependem da composição do coquetel de substâncias cerebrais (neurotransmissores) e hormonais de cada pessoa.

    A pesquisadora investigou quem se sente atraído por quem com 28 mil pessoas. Fisher comprovou que aqueles nos quais predomina a dopamina, criativos e dispostos a correr riscos, procuram pessoas com características semelhantes, assim como os que têm mais serotonina, mais tradicionais, apaixonam-se por pessoas análogas.

    Por outro lado, os que evidenciam níveis elevados de testosterona-analíticos, lógicos e aptos à engenharia — se juntam a pessoas com mais estrogênio, nas quais predominam qualidades como imaginação, compaixão e intuição.

    Segundo outro estudo publicado no jornal russo "Pravda", beijar na boca beneficia a pressão sanguínea, o sistema cardiovascular e os níveis de colesterol, além de prevenir cáries tão bem, ou melhor, que o creme dental, além de outros males relacionados à dentição.

    De acordo com a pesquisa, as tensões faciais que ocorrem durante o beijo melhoram a circulação e o estado da pele do rosto. Além disso, o beijo pode servir para aliviar a dor, já que, quanto mais apaixonado, maior a liberação de endorfinas, uma substância hormonal que tem propriedades analgésicas semelhantes às da morfina.

    — O beijo é um mecanismo de avaliação do companheiro. Durante o ato de beijar, ocorre uma série de reações químicas e, em alguns casos, um beijo ruim poderia ser o "começo do fim" de um novo romance.

    — Quando beijamos, vemos, cheiramos, sentimos o outro. A saliva do outro contém quantidades de hormônios que são um indicador de sua personalidade. Ao beijar, o cérebro fica ativo.

    — Beijar na boca pode beneficiar a pressão sanguínea, o sistema cardiovascular e os níveis de colesterol, além de prevenir cáries e outros males relacionados à dentição.

    "Por um olhar, um mundo. Por um sorriso, um céu. Por um beijo... eu não sei o que lhe daria por um beijo", diz uma das mais belas estrofes do poeta espanhol Gustavo Adolfo Bécquer. As pesquisas científicas ainda não têm resposta para a romântica reflexão do poeta espanhol. No entanto, revelaram algumas surpreendentes utilidades dessa ardente forma de expressar o amor ou o desejo, que não é só uma aliada do afeto, mas também da saúde.

    ___________
    Agência EFE

    ~ Beijar é bom e faz bem ~

    Cientistas alemães afirmam que
    beijos e abraços ajudam a evitar
    enfartes, úlceras e até acidentes

    Beijos, abraços apertados e qualquer tipo de carícia são os melhores remédios para se conservar jovem e em forma, longe de doenças. Segundo a pesquisa publicada no jornal alemão “Bild”, o beijo e as demais demonstrações de carinho são capazes até de diminuir os acidentes de trânsito.

    O estudo assegura que um simples beijo aumenta a pulsação do coração de 70 batimentos para cerca de 150, o que força o bombeamento por parte do coração de um litro de sangue a mais, pois as células pedem mais oxigênio para trabalhar. E este aumento da taxa de oxigenação auxilia o metabolismo celular.

    Assim, as pessoas que gostam de beijar sofrem com menos frequência de enfermidades ou moléstias do aparelho circulatório e também do estômago e da vesícula. Além disso, elas também têm mais facilidade em pegar no sono e pouca propensão à insônia e às dores de cabeça.

    Um beijo, também de acordo com os cientistas alemães, põe em circulação pelo corpo uma série de hormônios que proporcionam bem-estar e alegria à pessoa. Dependendo do ardor do beijo, estes hormônios podem até diminuir a sensação de dor de uma maneira equivalente a uma dose de morfina. Estes hormônios fazem do beijo uma espécie de “anjo da guarda”, pois uma pesquisa realizada entre homens casados e que dirigem mostrou que os que são beijados pelas mulheres antes de sair de casa para o trabalho tendem a ter menos acidentes no tráfego.

    O relatório dos estudiosos alemães afirma que o beijo é uma das melhores formas de se evitar as rugas e de se fazer ginástica facial, já que põe em movimento nada menos do que 29 músculos do rosto. Ainda no campo dos benefícios estéticos, o estudo revela que o beijo emagrece, pois obriga o organismo a consumir cerca de 12 calorias, mais ou menos o mesmo que um abraço bem apertado.

    ________
    Jornal Bild, Bonn, Alemanha.

    ~ Beijo pode ajudar a curar depressão ~

    O beijo é a melhor terapia, principalmente para superar a depressão, revelou uma organização britânica.

    O beijo "estimula a parte do cérebro que libera endorfina na corrente sanguínea, criando uma sensação de bem-estar", destacou a principal agência de terapia sexual britânica, Relate, com sede em Londres, e que já atendeu milhares de pessoas no Reino Unido para ajudá-las em suas relações de casal.

    A endorfina é o "opiáceo" natural do organismo, cuja liberação no cérebro causa sensação de prazer, agindo como antídoto para a depressão.

    Lembrando que os benefícios da liberação de endorfina provocada por um beijo já foram tema de incontáveis documentos científicos, a organização britânica faz um apelo para que as pessoas se beijem mais, para combater o desânimo que acomete muitas pessoas, por exemplo, após as festas de fim de ano.

    Estudos anteriores demonstram que os casais no Reino Unido não dedicam muito tempo ao beijo, pois seu cotidiano é cada vez mais dedicado ao trabalho, informou a Relate, especializada em terapia sexual e assessoria psicológica a casais.

  • Beijo francês
  • Em um documento intitulado "O beijo francês (french kiss), beijo de língua num dia chuvoso", a organização enfatiza que os beijos que trazem mais benefícios para a saúde e para combater a tristeza não são aqueles em que só os lábios se tocam, sem muita paixão ou emoção.

    Quanto mais "excitantes" e apaixonados são os beijos, "mais adrenalina é liberada no sangue" e maiores são os benefícios para a saúde, garante a organização britânica.

    A sexóloga britânica Denise Knowles, que trabalha como assessora de terapia sexual da Relate, afirma que os benefícios para a saúde de um beijo apaixonado ocorrem porque uma forte liberação de adrenalina causa aumento da pressão arterial e do ritmo cardíaco.

    Por este motivo, Knowles lamenta que o beijo seja frequentemente relegado nas relações amorosas, em uma sociedade em que as pessoas querem, sobretudo, ter um "bom sexo". "No entanto, o beijo traz tanto bem-estar e prazer quanto um bom sexo, e é mais fácil, podendo ser desfrutado na intimidade ou em público", diz a especialista.

    _________
    France Presse, em Londres.

    ~ Primeiro beijo pode determinar futuro da relação, diz pesquisa ~

    O primeiro beijo de um casal pode determinar o sucesso da relação no futuro, segundo indica uma pesquisa sobre o ato de beijar realizada por pesquisadores da Universidade de Nova York.

    No estudo, que analisou reações e percepções de 1.041 pessoas sobre o beijo, 59% dos homens e 66% das mulheres disseram já ter descoberto, após o primeiro beijo, não estarem mais interessados em alguém por quem se sentiam atraídos anteriormente.

    “O que ocorre durante um primeiro beijo pode ter um efeito profundo sobre o futuro do relacionamento”, relataram os autores da pesquisa no artigo publicado na revista científica Evolutionary Psychology.

    “Talvez o beijo nessas circunstâncias pode ativar mecanismos evoluídos que funcionam para desencorajar a reprodução entre indivíduos que podem ser geneticamente incompatíveis”, dizem os pesquisadores.

    ~ Forma de avaliação ~

    O estudo indicou ainda que as mulheres em geral dão mais importância aos beijos do que os homens.

    Elas utilizariam o ato inicialmente como uma forma de avaliar o receptor do beijo como um parceiro em potencial e, posteriormente, como forma de manter a intimidade e de analisar a condição do relacionamento.

    Segundo o estudo, as mulheres teriam mais propensão em avaliar as habilidades do parceiro com pistas químicas (como o hálito e o gosto de suas bocas) e tomariam a aparência dos dentes como uma das principais variáveis analisadas para tomar a decisão de beijar alguém.

    Os homens, por sua vez, utilizariam o beijo primordialmente como ferramenta para aumentar a possibilidade de envolvimento em uma relação sexual, segundo a pesquisa.

    Eles teriam menos reservas em relação à escolha de alguém para beijar ou manter uma relação sexual.

    Os homens estariam mais propensos a ter sexo com alguém sem beijar, a ter sexo com alguém a quem não se sentem atraídos ou com alguém que consideram não beijar bem.

    E, ao contrário das mulheres, que consideram o beijo importante ao longo de todo o relacionamento, para os homens o ato perde importância com o passar do tempo.

    ~ Beijos molhados ~

    A pesquisa indicou ainda uma diferença no tipo de beijo preferido por homens e mulheres.

    Os homens declararam preferir beijos mais molhados e com mais contato de língua.

    Segundo os pesquisadores, isso poderia ser resultado de os homens terem menos capacidade de detecção químico-sensorial em relação às mulheres, necessitando assim de uma maior quantidade de saliva para fazer sua avaliação da parceira.

    Além disso, eles consideram que a troca salivar poderia ter uma função biológica de introduzir substâncias como hormônios ou proteínas nas bocas das mulheres para tentar influenciar sua propensão à relação sexual.

    Segundo o coordenador da pesquisa, Gordon Gallup, o beijo se desenvolveu ao longo do tempo para se tornar uma parte essencial do processo de flerte.

    Ele disse, porém, que “enquanto ambos os sexos participam dos benefícios adaptivos do beijo, a pesquisa indicou diferenças sexuais quando considerada a busca de estratégias de relacionamento de curto prazo contra o longo prazo”.

    ________
    BBC Brasil – 3 de setembro de 2007.

    ~ Beijo mensagem, em três idiomas ~

    Alguém que você não pode ver, manda um beijo que você não pode sentir... mas que a ama de um jeito que você pode imaginar!

    Someone you can not see, have a kiss that you can not feel... but he loves her in a way that you can imagine!

    Quelqu'un que vous ne pouvez pas voir, avoir un baiser que tu ne peux pas sentir... mais il l'aime d'une façon que vous pouvez imaginer!

    Beijo, a melhor coisa do mundo

    Não há estudos profundos sobre o beijo. Provavelmente, no meio
    da pesquisa, os cientistas descobriram que é muito mais gostoso
    beijar do que sair por aí pesquisando. Por isso:

    A beleza dos teus beijos,
    e aquela magia do teu olhar...
    É por todas estas razões e mais,
    porque eu te amo tanto.

    O beijo é a menor distância entre dois apaixonados.

    Não deixe de ver:

  • O beijo do seu signo
  • Kama Sutra
  • Amar é...



  • ~ Arnaldo Poesia ~

    Copyright © 2000/2013 Starnews 2001
    All rights reserved.

    Compartilhe:

    Publicar artigo no Facebook Facebook Publicar artigo no Twitter Twitter Publicar artigo no Orkut Orkut

    ARNALDO POESIA
    arnaldopoesia@yahoo.com.br

    Niterói - RJ

    Home | Projeto Goethe | Ludwig van Beethoven | William Shakespeare | Poesia